o DIA DA MULHER existe para nós TRANSEXUAIS?

Nesse dia tão hipocritamente cor de rosa, tudo parece ser direcionado à homenagear às mulheres...
Midias de todos os formatos (televisão, rádio, jornais, internet, etc) afirmam reconhecimento e respeito às questões e nessecidades dessa população que durante todo o restante do ano fica em segundo plano!

Menores salários, violência doméstica, não acesso à saúde pública são apenas alguns dos pontos desanimadores do tratamento imposto por uma sociedade machista e opressora! Exemplo: em minha cidade, em pleno outubro rosa, não havia ginecologista nem acesso ao exame de mamografia!

Mas voltando ao dia de hoje, DIA DA MULHER, nesse ano em especial até percebi a inclusão das mulheres trans em algumas campanhas ou mensagens na internet, talvez pelo "politicamente correto"... Mas, será que estamos realmente inseridas e acolhidas? Reconhecidas, Não como mulheres biológicas, mas em nossa realidade?

Algumas pessoas me parabenizam nessa data, algumas com sinceridade, outras por gentileza ou por parabenizar a quem está ao meu lado e sentir-se na obrigatoriedade de extender o gesto à mim! ( risos)

O fato é que temos o sentimento feminino... Às vezes a doçura do SER MULHER... Não somos o sexo frágil, longe disso (nem as mulheres CIS são)!!! Não me considero mulher, mas me sinto uma!
Quero ser homenageada TODO DIA!!! Com direitos iguais, respeito, equidade!
Hoje é mais um dia de luta do que de flores...


Ela é você!:

*Gif copiado de homenagem da página que me transborde, do Facebook.

Casei via Rede Social

Visita à Bola de Neve

Ontem à noite meu marido e eu fomos visitar a Igreja Bola de Neve Church de Guaiba -RS.
Confesso que ficamos de certa forma desapontados logo de chegada ... Imaginávamos algo bem diferente, pessoas menos "caretas"! Eu pensava encontrar pessoas tatuadas, homens com alargadores nas orelhas, aqueles tipos estranhos, sabe? De bandana na cabeça e aquele cavanhaque bem comprido, tipo barba de bode! (Risos)

Não sei de onde tirei esse estereótipo... Imaginava pessoas rejeitadas, excluidas, mau vistas pela sociedade! Logo de chegada já percebi um Povo de Deus tradicional, convencional. As únicas pessoas com tatuagens éramos nós!
Mas fomos muito bem recebidos, acolhidos! Pessoas simpáticas e atenciosas! Ambiente acolhedor,
a tradicional prancha de surf como púlpito no altar, maioria dos membros jovens.

Havíamos combinado no domingo anterior essa visita, pois havia muitos anos que desejávamos conhecer essa Igreja! Foi perfeito... Um encontro marcado com Deus! A mensagem tinha tudo a ver, "Os Dez Leprosos". Os quais foram curados por Jesus, e somente UM voltou para agradecer! Deus falou de uma forma tremenda ao meu coração naquele lugar. À muito não sentia Sua presença. E pensar que pela chuva quase não fomos!
Foi maravilhoso ouvir e sentir novamente o Amor de Deus.





Crianças Transgêneros no Encontro com Fátima

Na manhã dessa sexta-feira, dia 17 de fevereiro, o programa Encontro com Fátima Bernardes ( Rede Globo ) tratará de um tema de grande importância e delicadeza: "Crianças Transgêneros"!

Já comentei sobre o assunto aqui no blog, com uma breve pincelada, mas provavelmente amanhã, após o programa terei muito à comentar... Pois essa nova geração de pessoas com a identidade trans tem muito a ensinar, dão aula sobre o tema na infância e  adolecencia!

Hoje, com o auxílio da internet, a velocidade das informações e a globalização, o acesso à informação é muito maior. Claro que o risco de informações distorcidas também existe, mas essa turminha tem discernido o que é real e o que não passa de ficção, utopia ou Glamourização!

Espero que a oportunidade seja de visibilidade e conhecimento, que ajude a milhares de crianças e adolescentes que sofrem (ou não) por nao entender o motivo de não se identificar com o sexo biologico, de nascimento! Fátima mais uma vez dando show, trazendo à luz assuntos que por causarem AINDA desconforto, geralmente são jogados para baixo do tapete!

Dia da Visibilidade das Pessoas Bissexuais

Nunca acreditei na bissexualidade, imaginava ser coisa de gente inrustida.  Que não tem coragem de assumir do que realmente gosta, e para não ser taxado de ¨gay¨, fica no meio termo. Zona de conforto! Quando me descobri enquanto BI sofri muito... Principalmente por conta desse pré-conceito que eu tinha como verdade absoluta!
Tive a oportunidade de desconstruir esses conceitos um a um, fundamentado em minhas experiências, sentimentos e sexualidade!
Sou BISSEXUAL, não sou ¨indecisa¨, apenas TIVE SORTE!